FRUSTRAÇÃO

Por: Julio Correia Neto | 11 de junho de 2018

Costumo mencionar três verbos que deveriam ser nosso guia-mestre diário para um pleno viver:

 

  • Sorrir
  • Cantar
  • Dançar

 

Mas, a cada dia, observo que estas atitudes são manifestadas cada vez mais de maneira artificial, superficial, sem intensidade, ocultando o profundo sofrimento humano, que inunda a vida de milhares de pessoas.

Sentimentos de culpa, medo, insegurança, angústia, frustração tem adoecido o ser humano tolhido de sua autenticidade, originalidade e ‘espiritualidade’. Milhares de pessoas reprimidas em suas emoções, sonhos e esperanças, alimentando inúmeros ‘nódulos energéticos’ dentro de si. Vivendo por viver.

Facilmente conseguimos fazer pessoas chorar (liberação de energia) que, neste caso em específico, estou considerando os assuntos mal resolvidos trancafiados em nosso inconsciente, no decorrer da jornada, desde nossa tenra idade.

Precisamos ser tudo aquilo ordenado do mundo exterior e literalmente esquecemos, de nossa ‘tensão’ interna, que grita ansiando que sigamos por outros caminhos (armazenados em nossas células por conta de nossa carga genética).

Somos forçados a viver em harmonia, em equilíbrio constante, com temperança, resiliência e inteligência emocional, mas, antagonicamente, somos pressionados de forma insana a neurose, a esquizofrenia, a loucura, a demência. Somos diariamente sugados de nossa energia vital, de nossa energia ‘espiritual’, tornando-a cada vez mais pesada, mais densa.

Buscamos a perfeição diária, seguindo preceitos e condicionantes estabelecidos por homens loucos, que visam a padronização de todos, enquanto, desde nossa origem, já tenhamos nascido com toda a ‘perfeição’ embarcada, necessária a nossa existência, bastando, unicamente, colocar em prática os preceitos. Mas quem permite que isso ocorra? Pelo contrário.

Em países como o Brasil, desde cedo, somos doutrinados a não questionar, a respeitar calados a autoridade dos pais, dos religiosos, dos professores….de um monte de estranhos, menos a nós mesmos. Que resultado melhor do que constatamos hoje poderia vingar? Improvável.

Mesmo nos países mais desenvolvidos, o pensar está condicionado a uma agenda pré-estabelecida. A liberdade é controlada até certo ponto. Quem tentar se desviar, será calado.

Como já escrevi em outros artigos, o mundo se tornou um tédio. Poucos conseguem compreender isso, porque vivem mergulhados em fantasiosos estados de felicidade e/ou pelo fato do ser humano fugir o tempo todo da realidade, escapar o tempo todo de tudo aquilo que possa lhe gerar dor e sofrimento. E, com isso, o distanciamento da realidade, o distanciamento de si mesmo, torna-se cada vez mais abissal.

Para enganar as pessoas, os discursos de sempre: ‘pense positivo’, ‘atitude’, ‘a mudança está dentro de você’….

O QUE PODE MUDAR O SEU PENSAMENTO, PODE MUDAR O SEU DESTINO. O ponto é esse: O QUE. Existem variados aspectos químico e biológico individual que alinhados a aspectos ambientais condicionam a forma que pensamos. Portanto, como já mencionei outras vezes, este papo de ‘livre arbítrio’ não é bem assim como dizem por ai. Existe uma poderosa estrutura alicerçando quem somos (O QUE), que não é algo fácil de se alterar como muitos supõem ser.

A reengenharia genética (através do mapeamento dos cromossomas), a biociência e a neurociência tem efetuado evoluções no seu entendimento de como manter o equilíbrio do ser humano, ‘consertando seus erros de fabricação’, desde a sua origem (antes de vir ao mundo), o que seria o mais ideal, bem como, ao longo da jornada como adulto, processo esse mais complicado. Mas, tudo isso, ainda muito custoso e restrito a poucos privilegiados, que tem a oportunidade de maximizar todo o seu potencial de realização.

Pois bem, você mesmo após este singelo texto, vai continuar acreditando que seguir todas as ordens que se originam do mundo exterior vai transformar a sua vida, ou existem variáveis outras muito além do seu conhecimento?

 

Deixe um comentário!