VIVER DA (NA) MENTIRA

Por: Julio Correia | 3 de fevereiro de 2016

Quantas e quantas pessoas tem sua existência mergulhada em uma vida calçada no ilusório, na mentira:

  • Acreditando ser algo que não são
  • Defendendo comportamentos e verdades irreais
  • Na negação do real, do palpável e tangível
  • Forçando outros a serem o que não são
  • Rotulando, segregando, mal-dizendo

Nossa mente alimentada anos a fio por crenças patrocinadoras de não verdades criadas pelos homens para a dominação de outros homens, para o atendimento de objetivos unicamente particulares.

A cada dia somos inundados por histórias irreais como, por exemplo, do Aedes Eagipity que se transformou repentinamente em estrela de calamidade pública mundial, naturalmente, para acobertar interesses outros, que raramente vem à tona. É a mentira tornando-se dona do picadeiro mais uma vez.

O mundo no qual vivemos, a cada milênio, torna-se um ‘curral’ de histórias criadas por nós seres racionais, que anseia brutalmente que os demais aceitem ‘as nossas verdades’ como ‘verdades’ supremas e inquestionáveis. Somos, grande parte das vezes, forçados a ter que acreditar no que é dito, caso queiramos continuar inseridos e/ou aceitos dentro de um determinado grupo ou sociedade. Caso contrário somos doentes, esquisitos, malucos e por ai vai.

Um exemplo é o rótulo criado de ‘mãe solteira’, satirizado pelo Papa Francisco esta semana: ‘mãe é mãe, não se faz necessário estado civil’, como para ser mãe necessariamente precisa estar casada, com um macho ao lado. Exemplo das ignorâncias e bitolices massificadas durante anos. O que se faz necessário é a responsabilidade e condição para se tomar conta deste novo ser que vem ao mundo. Este deveria ser o ponto.

Como falarmos em educação, em especial no Brasil, aonde a sociedade, por pertencer a uma pátria de exploração, vive massivamente enganada, lubridiada, conduzida como gado?

Como falar de educação aonde não se deseja pessoas esclarecidas, educadas, com olhar crítico, mas que meramente repetem o que vem de fora, como fosse 100% confiável?

A entubação de grades curriculares alienantes e totalmente desatualizadas que domesticam para a mentira não é educação. É lavagem cerebral conduzido por professores, na grande maioria das vezes, repetidores de inverdades, de fatos e dados criados a vontade do interesse de poucos. Aliado a isso, um total descaso com a saúde pública e saneamento básico que direta e indiretamente afeta a capacidade de milhões para o aprendizado. Depois são tachados de ‘burros’, de imprestáveis, de ignorantes, de preguiçosos…..são conduzidos a um estado de doença, de desnutrição, de sub-condição humana. São situações causadas, impostas, com crueldade. A ignorância forçada agora patrocinada pela microcefalia, deficiência esta já muito existente no nordeste brasileiro e omitido covardemente da opinião pública local.

Por que não se trabalha o despertar das pessoas desde a tenra idade para valores como a felicidade, o amor, a paz, a união, a fraternidade, a coletividade (união de competências individuais), ao invés da competição, da segregação e o preconceito (do aluno mais inteligente do que o outro), já que cada ser humano possui competências particulares e que, definitivamente, não podemos e não devemos estar tratando a todos como iguais, que devem ter comportamentos e atitudes padrões que permitam o julgamento cruel do bom/ruim, limitado/brilhante, calmo/nervoso e por ai vai?

Hoje se fala muito nas descobertas da ciência através da física quântica. Será que o que está se dizendo são verdades ou são novas teorias que estão surgindo para substituir antigas já batidas, questionadas e que estão caindo em descrédito? As pessoas tem a necessidade de saber o porquê estão aqui, quem são, quais seus papeis, por que de tanto sofrimento e, por conta disso, manter-se a esperança acessa é de extrema importância para se manter o gado ‘tranquilo’. Por que será que, repentinamente, acordaram-se para o Budismo, as técnicas de meditação…..lembrem-se que meditação, acima de tudo, significa acalmar a mente e, muito bem, pode ser utilizado como canal para introduzir, por meio da hipnose, novos conceitos e comportamentos, imperceptíveis pela grande maioria que vive no encantamento. É assustador como já percebemos uma quantidade de seguidores teleguiados repetindo o que é publicado ao monte sobre as descobertas por meio da física quântica como todos nós tenhamos capacidade técnica de validar o que está sendo dito. Ou seja, é o ilusionismo de partir do pressuposto de que tudo o que é dito para a gente é verdade e ponto final.

Quantos estão indo na onda de que o armamento da população é uma solução para o Brasil? Recebi o seguinte comentário esta semana: Interessante notar que os EUA são muito, mas muito mesmo, mais seguros do que o Brasil. As duas cidades mais perigosas dos EUA são Washington e Chicago, as duas onde a compra de armas é mais difícil. Porque será?’. Alguém consegue acreditar que lá é um país seguro ou é o que vendem para o mundo ou pelo menos para as pessoas menos informadas?

A Internet aliada às técnicas do marketing e da PNL, por exemplo, estão formando uma grande ferramenta para atingir objetivos outros do que educar e sim trazer informação a bilhões de pessoas de forma rápida e global aliado a interesses contrários, sem contar, o isolamento cada vez maior entre elas, cujo contato está sendo feito com robôs (os apps de celular, call-centers e por ai vai).

Tudo isso é mentira, fantasiado no ilusório de que tudo que o avanço tecnológico trouxe e continuará cada vez mais rapidamente trazendo é fantástico, é necessário para o nosso bem viver.

Pouquíssimos de nós sabe enxergar a realidade da forma que ela é. Com certeza não é essa agitação, esse stress, essa agressividade entre pessoas, que é o bem viver.

Estamos a cada dia sendo sufocados mais e mais e vejo pessoas batendo palmas para uns, acusando outros. Quanta cegueira acreditar que o que vivemos é isso mesmo, sempre foi assim, portanto é assim que tem que ser conduzido. Exemplo típico de mentes programadas para a merda, desculpando o termo chulo.

Viver na mentira gera muito sofrimento, sabia disso?

  • Nos stressamos à toa porque os outros não são exatamente da maneira que desejamos
  • Aborrecemos-nos porque as situações não acontecem da forma que planejamos em nossas mentes
  • Frustramos-nos quando descobrimos a verdade real sobre uma determinada coisa e percebemos o quanto fomos injustos com alguém, quanta energia e tempo desperdiçamos
  • Deprimimos-nos quando acordamos para a realidade de que tudo ou quase tudo no qual acreditamos grande parte de nossa vida nunca passou de feitiço, a serviço dos interesses de poucos:
    • Corremos para ter uma profissão e um bom emprego de preferência o que está na moda
    • Gastamos grande parte do nosso tempo para ter coisas e dinheiro
    • Seguimos cegamente regras padrão que, não tem nada a ver com a gente, nos ferindo internamente, nos adoecendo física, mental e espiritualmente falando (todos tem que casar, todos tem que cursar uma universidade, todos tem que ter filhos, etc, etc, etc)

Vivemos apegados a inverdades e é difícil de desapegar.

Quem tenta propagá-la é perseguido, é criticado, é caluniado….simplesmente pelo fato de ir contra o encontro da grande maioria.

É cruel.

É duro acordar e perceber que nós somos doutrinados para sermos ruins, ao contrário de nossa essência, que a todo tempo tentam assassinar.

E você….quer continuar mergulhado nesta vida? Você realmente se sente feliz, ou se faz parecer feliz?

Analise bem o seu dia-a-dia. OBSERVE. E tire a sua conclusão baseado no real e não dentro dos padrões que a sua mente deseja que você enxergue.

‘TODOS NÓS ENXERGAMOS, MAS POUCOS SÃO OS QUE VÊEM DE FATO’.

Deixe um comentário!