MUITO BLÁBLÁBLÁ

Por: Julio Correia | 16 de abril de 2016

Domingo, 7 horas da manhã, aguardando a abertura do supermercado. Dois outros rapazes (um deles agitado, agoniado, impaciente, ansioso) também chegam e começam a papear. Na verdade, reclamar, reclamar de tudo, reclamar de todos. Quanta energia ruim emanada numa bela manhã ensolarada que estava se iniciando. Como aquilo fosse resolver algo na vida de alguém. Na própria vida deles. Cena comum em nosso dia-a-dia.

Fiquei me perguntando: por que as pessoas estão cada vez mais intolerantes, impacientes, reclamonas? Por que é tão fácil ficar tagarelando, do que buscar a união, o consenso na busca por soluções efetivas? TER ATITUDE, AÇÃO, não com a língua, mas com a criatividade, o bom senso e o discernimento ativos.

Está ficando, particularmente, insuportável todo o santo dia, quase as 24 hrs do mesmo, ficar escutando as lamúrias, as críticas, os achismos, os xingamentos, as acusações, etc. seja abordando temas políticos, econômicos, do trânsito, ou mesmo do vizinho e/ou colega de trabalho. Em todos os lugares que se vá, tem um bando de mentes vazias  e corações amargurados jogando veneno no universo.

Quanta energia e tempo sendo desperdiçados com babaquice, com atitudes mesquinhas, com mediocridades? Alguém acha que esse comportamento isolado vai conduzir a sociedade a alguma evolução, a alguma solução? Eu acredito que não, ainda mais que as pessoas estão cada vez mais perdendo a capacidade de dialogar, de se comunicar produtivamente, de ouvir, de se aceitar, de se respeitar. Sem contar, o divisionismo que está sendo implantado entre classes e níveis sociais.

Temos uma massa de pobres e miseráveis muito grande em nosso território. E o pior: pobres sem instrução, facilmente iludidos e manipulados. Como vamos resolver esse grande problema que tende a se agravar com a mudança de perfil de trabalho que se alastra velozmente mundo a fora? Aonde uma grande maioria dessa massa até tem acesso à internet, mas para ficar pendurada em redes sociais fuxicando e falando da vida alheia?

Sem contar os ditos instruídos, muitos de nós formados pela mentira, que achamos saber muita coisa (na verdade, muitas histórias distorcidas contadas por terceiros, com algum interesse).

Seja no trabalho, sejas nas conduções públicas, seja na roda de amigos, seja na família, como as conversas tem ficado muitas e muitas vezes chata, pois ficam recheadas de sombras emocionais o tempo todo.

Vocês estão percebendo o quanto de pessoas estão sendo jogadas nas ruas com atividades e trabalhos medíocres para conseguirem um ganha-pão diário para sobreviver? Para, no mínimo, não passarem fome?

E a grande maioria das pessoas, que poderiam colaborar, se escondem no egoísmo da reclamação de seu mundinho, aquilo que incomoda o seu bem viver. Quantos eu vejo virarem a cara nas ruas (até com nojo), quando vem um sem teto pedindo por uma comida?

Por que os muitos que falam sem parar quando vem ocupar posições públicas não transformam o blábláblá em resultados? Mas não, acabam fazendo exatamente o que todo mundo faz: entram na ciranda do beneficiamento próprio, da propinagem e da corrupção vergonhosa que se alastrou de diferentes formas por todas as camadas da sociedade.

FALAR É MUITO FÁCIL. FAZER É QUE É O GRANDE PROBLEMA.

As pessoas estão cada vez mais desorientadas, visível até na forma de caminhar perdida e atribulada pelas ruas. Será que ninguém percebeu isso?

Tudo isso está muito desgastante. As pessoas estão muito cansativas, muito repetitivas, muito negativas, muito chatas, muito individualistas, muito materialistas e superficiais, muito vazias.

Evito muito criticar o outro, mas como as pessoas tem falado e escrito abobrinhas sobre os mais diferentes temas, que nos mostra o nível de futilidade como encaram o sentido da vida.

Muitas e muitas das vezes é mais prazeroso conversar com aquele senhor (a) bem humilde do interiorzão, vivendo da sua agricultura e/ou da pesca, e morando em seu casebre de barro e teto de palha, na grande maioria das vezes alheio a toda esta fantasia hipnótica a que somos submetidos nas grandes cidades, repletas de stress e consumismo sem sentido, porém ricos de sabedoria divina, do que com as pessoas que  convivemos no nosso dia-a-dia. Pois aquelas nos ensinam que o viver em simplicidade é muito mais rico do que todas as riquezas que possamos acumular em terra ou prazeres mundanos que possamos vivenciar.

As pessoas das grande metrópoles estão entediantes, cansativas, repetitivas.

Repetitivas  pois o dia-a-dia da grande maioria é repetitivo, sem sal.

E a vida vai indo, sem graça, na mesmice de sempre.

Como tenho colocado em alguns artigos: muito alongamento de nádegas e músculos ao invés do cérebro. Aqui acrescendo: mas carinho e amor no coração, ao invés de selvageria. O mundo agradece.

Mais uma semana se inicia.

Aproveite para refletir suas atitudes, com profundidade, imparcialidade e criticidade.

Será que estou sendo muito reclamão, muito egoísta, muito individualista, ao invés de propagar mensagens de consolo, de esperança e de amor?

Será que estou tratando o outro com intolerância e indiferença ou estou tendo a capacidade de aceitar, de respeitar, de ajudar, de orientar, tendo compaixão e  temperança com as diferenças?

Como posso desejar paz e felicidade para mim se semeio discórdia, injustiça, impiedade, revolta, raiva e ódio? Coisas desconexas não? Mas muitos e muitos fazem isso todo dia, a toda hora, em diversos ambientes.

Devemos ser nosso maior guardião de nossas atitudes, falas e comportamentos. Não tão somente na forma verbal, mas na não-verbal também.

Milhares acreditam que tudo isso é balela, não funciona. Mas, paradoxalmente, correm para as igrejas, cultos e assemelhados nos momentos críticos de falta de esperança, como está acontecendo atualmente, como tábua de salvação.

A salvação está dentro de cada um de nós, em sabermos nos comportar como seres ditos racionais.

Estamos cada vez mais emanando energia negativa para fora. Cada vez mais poluindo o universo de vibrações perversas. E esperamos que recebamos o que em troca?

É TÃO SIMPLES, MAS O GLAUCOMA TEM SE PROLIFERADO DE TAL FORMA E SEM CONTROLE QUE A CEGUEIRA SE ALASTRARÁ CADA VEZ MAIS.

Que a semana que se inicie, seja a promessa de mais luz branca nas mentes, olhos e corações de todos os homens deste Brasil e deste Planeta. Amém.

Deixe um comentário!