Transformados Pela Mentira

Por: Julio Correia Neto | 14 de julho de 2015

Vivemos no mundo das ilusões. E é verdade mesmo. Para viver e sobreviver somos induzidos a fechar os olhos e seguir a grande manada – a grande manada dos conduzidos ou a minúscula manada dos condutores.

De que lado você se coloca geralmente? Logicamente, tendemos a segunda opção, por razões obvias. Mas, na verdade, estamos, em sua grande maioria, na primeira opção. E ai, começam todos os nossos problemas existenciais, por mais dinheiro, poder, fama, e bens.

Mergulhamos em um oceano profundo de mentiras. A começar, na grande maioria das vezes, em uma falsa felicidade, alimentada e instigada constantemente pelos prazeres mundanos, que se renovam alucinadamente (o novo iphone, o novo carrão, a nova coleção de joias e de roupas de grife, os luxos de uma viagem a Dubai, os novos smart TV´s e por ai vai; a lista de tentações é grande).

Ou você acha que o árduo trabalho do marketing serve para que? Somente vender? Mais do que isso: afastar o ser humano da sensação de dor e sofrimento e aproximar do prazer. Trata-se de nossa natureza mais íntima.

Mas, um prazer superficial, não integral. Eu costumo dizer que o ganho de consciência muitas vezes pode se tornar sofrível, pois passamos a compreender que fomos enganados por longos anos, por melhor que tenha sido a vida, até então.

Enganados na alimentação artificial, nos medicamentos manipulados, nas bebidas bombásticas, nos Best-Sellers indutores de tendências nem sempre benéficas, na educação tradicional e repleta de crenças e dogmas limitantes, conservadores e dominantes, em diversos seminários e cursos de cunho mental, nos estímulos para o consumo, nas guerras e conflitos plantados, nas informações distorcidas e/ou omitidas pela mídia, na venda de nosso tempo para terceiros (por melhor que sejam os salários, tolhem nossa liberdade), enfim, de toda forma tentam nos tornar manipulados e subjugados.

O universo dominante trabalha o tempo todo no pavor que o medo da perda, da negação ou da rejeição gera nas pessoas: medo da perda do emprego, de ficar sem dinheiro, de ser excluído ou renegado pela sociedade, da doença, do fim do mundo (da morte), da guerra, etc, etc, etc.

E, neste aprisionamento mental, que o pensamento gera passamos a ter atitudes ansiosas, precipitadas, que poderia ser evitado se vivêssemos em paz com nós mesmos. Se acreditássemos que as respostas e soluções estão dentro de nós mesmos e não nos impulsos falsos, mesquinhos e interesseiros gerados pelo mundo externo.

As mídias digitais, com o advento da internet, criou, na minha opinião, inúmeras oportunidades de libertação do mundo convencional. Quantas e quantas pessoas estão se tornando empreendedoras, passando a serem donas de seu tempo e resultados, trabalhando de casa (nos home offices), desenvolvendo a sensação da liberdade?

Mas, novamente, vem o grande interesse econômico contaminar o processo alimentando na cabeça das pessoas que é a melhor e mais rápida maneira de se ficar rico em pouco tempo fazendo-se uso de discursos como fature 500 mil a 1 milhão logo no primeiro mês.

O Que Está por Detrás Disso Tudo?

A diminuição cada vez maior do emprego tradicional com a consequente redução de custos e, logicamente, aumento dos lucros para os detentores de capital.

E a grande maioria desqualificada e que não tem acesso à educação, a inclusão digital, ao mundo virtual que rapidamente toma conta da economia do mundo? Daqui algum tempo teremos livrarias virtuais, jornais e revistas digitais, extinguindo-se, gradativamente, a impressão física.

Treinamentos on-line, que cada vez mais se prolifera; reuniões virtuais, evitando-se deslocamentos e por ai vai. Já tomaram ciência do nível de comissão no mundo virtual? No tradicional 5, 10, 20%. No digital, ultrapassa 50%, alegando-se custos menores.

E quem está por detrás de grande parte deste processo de afiliação? Logicamente, novos milionários, bilionários surgem a cada dia, tudo isso é normal neste processo mas, comparativamente a grande maioria que perde, o número é insignificante.

Como li em uma reportagem dias atrás de um grande gestor de empresa de ponta: “estamos cada vez mais colocando em risco a via humana no planeta”. E, naturalmente, não percebemos isso, pois estamos ávidos por encontrar também uma brecha de ficarmos milionários, bilionários, da noite para o dia, esquecendo que a degradação da qualidade de vida no planeta afeta e afetará a todos, em maior ou menor escalas sejamos ricos ou pobres de diversas formas: violência, terrorismo, guerras, conflitos sociais, doenças…

Já estamos passando por isso ou será que continuamos achando que o comportamento agressivo das pessoas comuns é normal? Estamos sendo manipulados, novamente, sem estarmos conscientes, empurrados por nossa mente que funciona feito uma máquina de caça-níqueis, fortalecendo, ainda mais, nosso EU INTERNO FAJUDO, O EGO.

Muitos vão me rotular de utópico, fora da realidade, etc, etc. Realmente, eu vivi fora da realidade enquanto não tinha adquirido a visão real do funcionamento das coisas, das pessoas.

Vale aqui destacar um trecho de um artigo que compartilhei aqui no Linkedin a partir do site Administradores.com:

“Ser inteligente em uma sociedade pouco instruída é como receber uma estrela de xerife no velho oeste bem no dia em que o bandido mais perigoso do local adentrou a cidade. Em outras palavras, o que quero dizer é o seguinte: as pessoas não querem saber o raio de conhecimento que você possui. Elas estão interessadas em si mesmas e em mais nada. Basta averiguarmos com calma nossa comunidade e veremos que os intelectuais são sempre perseguidos, enquanto os demais são abraçados. Isso acontece porque vivemos em um mundo onde a inveja existe e os seres que aqui estão a valorizam demasiadamente. Por isso Fannie Flagg disse: “Lembre-se, se as pessoas falarem por suas costas, quer dizer apenas que você está dois passos à frente“.

Portanto, fica aqui a mensagem: fujam das armadilhas da mente, e temos muitas e muitas por ai, que, o tempo todo, procura ficar vagueando entre o passado e o futuro, não nos deixando ficar no aqui e agora.

E, desta forma, fugimos da realidade. Não conseguimos entender e vivenciar o presente da melhor forma possível e, com isso, colheremos as consequências do sofrimento, pois, sempre, estaremos com a sensação interna de que algo estará nos faltando. Você já não sentiu o sente isso? Acalma a sua mente, seus pensamentos e perceba-se. E SEJA FELIZ DE VERDADE.

Deixe um comentário!