A VAIDADE QUE CEGA

Por: Julio Correia | 5 de setembro de 2015

“Aprendi que a mais árdua e bela das peregrinações é aquela em que percorremos ruas e becos de nós mesmos.”

(Nathalia Wigg)

 

Quanto à vaidade pode nos cegar?

Quantos de nós?:

  • Perdemos oportunidades pessoais e profissionais
  • Somos enganados, sofremos golpes
  • Aproximamos-nos de pessoas erradas
  • Magoamos a quem verdadeiramente nos ama, afastando pessoas, ferindo sentimentos puros e verdadeiros

A vaidade tem o triste poder:

  • De nos deixar arrogantes, individualistas, soberbos, mesquinhos
  • De fazermos pensar que somos sempre os donos da razão
  • De que sempre somos os melhores
    • Os mais bonitos
    • Os mais inteligentes
    • Os mais espertos
    • Os mais sabe-tudo
    • Os mais-mais…..

Como cruzamos com pessoas assim por ai, cada vez mais. Quanto mais tivermos estímulos externos a isso, de diferentes formas, mais pessoas utilizarão o sentimento da vaidade da forma negativa. Já fui muito assim, posso dizer que sei o que estou falando.

Conheço pessoas que reclamam:

  • Que ninguém as entende
  • Que ninguém quer ficar perto
    • Pais humilhando filhos
    • Filhos destratando pais
    • Irmãos a irmãos
    • Casais entre si
    • Pessoas entre si….A INTOLERÂNCIA, pela falta de TEMPERANÇA

As pessoas se fecham em seu mundo fantasioso, irreal. Ficam cegas a simplicidade, a verdade dos fatos. Se prendem as suas verdades supremas e ponto final. Frases do tipo:

  • ‘Ninguém trabalhou mais do que eu nessa vida’
  • ‘Você não sabe o que está falando’
  • ‘A vida é tão injusta comigo; eu sou tão isso ou aquilo’
  • ‘Você tem que fazer o que eu estou mandando da forma que eu estou mandando’
  • ‘Você não sabe de nada’

E vão mergulhando a vida gradativamente em sofrimentos diversos, em angústias, sempre procurando fatores externos que possam saciar um grande vazio interno:

  • Consumo desenfreado de modismos
  • Estéticas corporais
  • Roupas Caras
  • Fortunas gastas em salões de beleza
  • Ou apego demasiado ao dinheiro, a bens materiais, a poses terrenas

E, por dentro, uma miséria só. E, ai, reclama da vida……

A vaidade negativa é o oposto da simplicidade, da humildade, de viver para servir ao próximo.

Um dos grandes males da humanidade reside na vaidade:

  • A arrogância dos governantes de acharem que seu país é melhor do que o do vizinho
  • Dos políticos acharem que o povo é burro e que podem fazer da máquina pública o que bem quiserem a seu bel-prazer
  • Das empresas concorrendo entre si
  • De um executivo se achar melhor do que o outro porque fez um MBA em Harvard ou porque trabalha em uma das grandes empresas do mundo ou porque tem um cargo top

A vaidade é alimentada nas famílias, nas sociedades, nas empresas, nas universidades, nos filmes, nas novelas, na moda, na indústria do luxo e de consumo em geral, pelas celebridades, nas redes sociais…..o tempo todo é massificada na cabeça das pessoas. Tudo passa a ser normal genuíno. As pessoas passam a atuar automáticas, como se tudo fosse normal:

  • Nas camadas mais pobres pela infeliz ignorância dos fatos
    • Quantos se gabam por ter a smarttv last generation pagas no carnê durante 60 prestações!!!!!!
  • Nas camas mais ricas e deveras mais esclarecidas pela ‘ignorância’ disfarçada de soberba, arrogância, falsa aparência, preconceito, superioridade….
    • Eu sou Diretor de uma grande empresa e você não é
    • Eu moro na Zona Sul e você no subúrbio

Os selfies dizem muito sobre vaidade – observe criticamente. Em muitos casos não pinta uma inveja do seu conhecido viajando para o exterior? Nada é criado por acaso meu amigo!!!!!

O que conduz, dentre diversas outras variáveis, a corrupção senão a vaidade de poder dizer que tem $ 100 milhões em uma conta no exterior? De poder dizer que tem mansões, carrões, jatinho e helicóptero particular…..alimentar o ego interno de se achar mais esperto que a grande maioria, ‘o cara’? São pessoas as quais devemos ter muita pena, pessoas que trazem verdadeiros cânceres interiores, na essência, na alma.

Então, pare, reflita e analise como a vaidade negativa tem trazido uma série de efeitos perversos para a humanidade, ao longo da sua história, e COMO ELE TEM SIDO BEM EXPLORADO PELOS GRUPOS DE INTERESSE.

O ser maduro, seguro de si, não tem porque ser vaidoso. A vaidade é propriedade dos ignorantes, dos imaturos, dos inseguros, dos desconectados de sua essência interna. O letrado vaidoso, por exemplo, é um ignorante, pois cultura serve para orientar outras pessoas e não para se pisar, se ostentar, guardar dentro de si, e, sim, compartilhar. Não é símbolo de ser melhor do que ninguém, porque ninguém de fato o é.

Acho que consegui passar o recado. Tem-se muito a falar, mas, o pouco dito, muito se diz.

 

“Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós ” (Tiago 4 : 8).

‘É simples assim, você vai chegando mais perto de Deus através da fé e ele se chegará a você com grandes recompensas’ – frase de uma amiga.

 

amarcura

 

 

Deixe um comentário!